Eleições

Declaração do PCTP/MRPP sobre os resultados das Eleições ao Parlamento Europeu

Quanto aos resultados das Eleições para o Parlamento Europeu, eles mostram, desde logo, uma derrota claríssima dos partidos de traição nacional PSD/CDS, tendo estes tido a pior votação de sempre em eleições europeias e perdido meio milhão de votos relativamente às ultimas, e metade do seu eleitorado em relação às ultimas eleições legislativas.

Quanto aos resultados das Eleições para o Parlamento Europeu, eles mostram, desde logo, uma derrota claríssima dos partidos de traição nacional PSD/CDS, tendo estes tido a pior votação de sempre em eleições europeias e perdido meio milhão de votos relativamente às ultimas, e metade do seu eleitorado em relação às ultimas eleições legislativas.

Mas estes resultados mostram também uma vitória absolutamente pífia por parte do PS, o qual, não obstante toda a política criminosa prosseguida pelo PSD e CDS, e em virtude da sua posição oportunista, não consegue descolar daqueles, tendo obtido apenas cerca de 31% dos votos expressos e somente mais 110.000 votos que o PSD e CDS juntos.

Alias, os três partidos da tróica (PSD, CDS e PS), todos somados, alcançam pouco mais de 59% dos cerca de 34% de votantes, ou seja, apenas um quinto do total dos eleitores.

E, na verdade, uma abstenção de mais de 66% constitui ademais uma demonstração inequívoca de clara rejeição, por parte da grande maioria do Povo português, da politica desses mesmos três partidos do poder.

Estas eleições marcam igualmente o prático desaparecimento da salada russa ideológica que é o Bloco de Esquerda (que perdeu 230.000 votos e 2 dos 3 deputados), e a sua substituição pelo populismo de Marinho Pinto e da sua barriga de aluguer MPT, dos quais, não obstante terem sido levados ao colo por toda a comunicação social, não se conhece uma única medida para o País, para a União Europeia e para o Parlamento Europeu.

Por fim, deve sublinhar-se a marcada e significativa subida de votação do PCTP/MRPP que, apesar do completo silenciamento das justas posições que defendeu, e desde logo a da saída do euro, foi o partido que registou o maior aumento de votação, tendo obtido mais 25% de que o seu resultado eleitoral de 2009.

Perante esta fragorosa e merecida derrota dos partidos do governo Coelho/Portas e a rejeição das suas políticas de austeridade e vende-pátrias que ela consubstancia, torna-se evidente que os trabalhadores portugueses expressaram muito claramente a exigência da demissão imediata do governo e da realização de eleições legislativas antecipadas, exigência essa que o PCTP/MRPP formula com toda a clareza e, mais, conclama todas as forças e personalidades democráticas e patrióticas a apoiar sem reservas.


Lisboa, 25 de Maio de 2014

O Comité Central do PCTP/MRPP

 

 

 

Luta Popular on line

Aceda ao Luta Popular e fique
a par das últimas noticias:

Biblioteca Vermelha

Um redobrado empenho no estudo do marxismo, dos textos em que se condensa a experiência histórica das revoluções passadas e também daqueles em que se perspectivam novos combates pelo socialismo e pelo comunismo, constitui hoje um dever indeclinável de todos os revolucionários.

Entrar na Biblioteca Vermelha

 

Ribeiro Santos

A morte de Ribeiro Santos (durante uma reunião de estudantes contra a repressão fascista de Caetano, realizada em 12 de Outubro de 1972 na Faculdade de Ciências Económicas e Financeiras de Lisboa) constituiu um marco decisivo e de viragem no movimento popular e revolucionário contra a ditadura e a guerra colonial-imperialista que viria a atingir o seu auge em 1974.