Textos Diversos

Honra ao camarada Orlando Alves!

Faleceu hoje, dia 29 de Abril, ao final da tarde, vítima de doença prolongada, o camarada Orlando Alves (Leonel), um militante de sempre do nosso Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses, membro do seu Comité Central e um intrépido lutador da causa do proletariado revolucionário.

Faleceu hoje, dia 29 de Abril, ao final da tarde, vítima de doença prolongada, o camarada Orlando Alves (Leonel), um militante de sempre do nosso Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses, membro do seu Comité Central e um intrépido lutador da causa do proletariado revolucionário.

O camarada Orlando Alves foi, durante cerca de dez anos, director do Luta Popular. Durante mais de três décadas, o camarada desempenhou, com exemplar firmeza e dedicação, as tarefas comunistas de agitação, propaganda e organização cometidas ao órgão central do Partido.

Em 2009, o camarada Orlando Alves foi o primeiro candidato do PCTP/MRPP às eleições para o Parlamento Europeu, tarefa que executou com invulgar correcção, obtendo para a candidatura do Partido o melhor resultado de sempre em eleições europeias.

Escritor e poeta, o camarada Orlando Alves teve um papel importante na frente literária e cultural do trabalho dos comunistas, deixando um exemplo e um legado difíceis de preencher e que há que prosseguir com todo o empenho e firmeza.

Na sua actividade profissional, o camarada Orlando Alves foi um combatente incansável no desempenho de tarefas políticas e sindicais, gozando de grande apoio e carinho junto dos seus camaradas de trabalho.

O camarada Orlando Alves tinha 58 anos de idade. À família enlutada apresentamos, em nome do Partido, do Comité Central e do Luta Popular, os mais vivos sentimentos de pesar e solidariedade.

O Partido perdeu um militante e um dirigente que nunca vergou face à dureza da luta revolucionária e que foi sempre um exemplo de optimismo e confiança no futuro do socialismo e do comunismo. Honremos a sua memória e sigamos o seu exemplo!

 

O corpo do camarada vai ao final da tarde de amanhã dia 30 para a Igreja da Parede.
Dia 1 de Maio às 16H00, no cemitério de Barcarena o corpo será cremado. 

 

fidelidade

 lutar.
não resta à carne outra razão.

 às vezes deseja-se outro lugar para morrer
mas tal é falso

 

                                                                            Orlando Alves

Luta Popular on line

Aceda ao Luta Popular e fique
a par das últimas noticias:

Biblioteca Vermelha

Um redobrado empenho no estudo do marxismo, dos textos em que se condensa a experiência histórica das revoluções passadas e também daqueles em que se perspectivam novos combates pelo socialismo e pelo comunismo, constitui hoje um dever indeclinável de todos os revolucionários.

Entrar na Biblioteca Vermelha

 

Ribeiro Santos

A morte de Ribeiro Santos (durante uma reunião de estudantes contra a repressão fascista de Caetano, realizada em 12 de Outubro de 1972 na Faculdade de Ciências Económicas e Financeiras de Lisboa) constituiu um marco decisivo e de viragem no movimento popular e revolucionário contra a ditadura e a guerra colonial-imperialista que viria a atingir o seu auge em 1974.